Açúcar e amor

Era uma tradição. Tarde chuvosa, vento gelado, crianças correndo em volta da mesa enquanto do fogão exalava o convidativo cheiro de bolinho de chuva. Naquele momento, mesmo com a chuva que nos impedia de brincar no jardim, mesmo com o frio que nos obrigava a usar várias camadas de roupas que cerceavam nossa liberdade e mesmo com a cara feia da mãe que ralhava sempre que uma mão pequenina tentava roubar um bolinho antes da hora, o mundo era perfeito.

Leite, farinha, açúcar, ovo, fermento e amor eram ingredientes simples mas que conseguiam tornar aquele momento inesquecível.

Passei a vida tentando reproduzir aquela receita – bolinhas perfumadas, coradas por fora e macias por dentro que tinham o poder de consolar qualquer dor, de reacender qualquer esperança – mas nunca consegui. Pressa, ansiedade, indiferença, medo, impaciência: muitas vezes minhas tentativas eram sabotadas por esses ingredientes indigestos e meus bolinhos nunca alcançavam a perfeição.

Até hoje.

Envolvida por um espírito maternal me enchi de calma, paciência, atenção, coragem e, munida de muito amor, me arrisquei como um cientista louco prestes a fazer uma descoberta.

Meus bolinhos ficaram maravilhosos, com gosto de colo de avó, e tudo graças a um ingrediente secreto: experiência. Compreendi que para tudo na vida há um momento certo e querer pular algumas etapas faz com que os bolinhos fiquem queimados por fora e crus por dentro.

20140727_105930

(Inteligência Linguistica – tenho facilidade de me expressar na forma escrita. Prefiro escrever a ter que falar o que penso pois consigo ordenar melhor o raciocinio. / Inteligência Intrapessoal – Entendo o que as pessoas pensam e sentem e, ainda que não concorde com muitas coisas, respeito suas ideias.)

Advertisements

Vida nova

Querido Zé,

Tenho algo pra te contar.

Estava olhando uma foto nossa: você com menos de um aninho, moreninho, gordinho, vestido de azul, sentado no meu colo e eu com os braços em volta do seu corpo, instintivamente querendo te proteger do mundo. Olho para esse passado e entendo que, independente da morte e de todas as suas dores, a vida continua.

Zé, estou grávida.

Uma nova vida está a caminho.

Como eu queria que você estivesse aqui para poder carregar no colo essa criança e ensiná-la a ser um ser uma pessoa tão extraordinária quanto você.

mother-holding-baby_40419_600x450(1)

Um

Querido Zé,

Mesmo o mais pessimista dos pessimistas traz, bem lá no fundo, uma chama de esperança. Foi essa chama que manteve todos minimamente lúcidos durante a sua doença. Foi ela que me fez querer ficar mais perto de você, ainda que este querer ficar mais perto significasse também sofrer. Essa chama nos fez dar risada juntos para aliviar a dor do seu corpo e dos nossos corações. Essa chama me fez acordar de madrugada e pedir para que alguma força superior olhasse por você.

Faz um ano que corri para o hospital para receber a noticia que nunca queria ter ouvido. A dor que já vinha se anunciando, finalmente se concretizara. Nas primeiras semanas muitas vezes lembrei de cumprir o ritual de ligar para saber como você estava e, após alguns instantes, lembrava que, infelizmente, isso não era mais necessário. Chorei muitas vezes, olhei suas fotos outras tantas, recolhi algumas lembranças e questionei repetidamente: por que tinha que ser assim? A resposta nunca veio e a dor continua aqui. Ficou o desejo de que você esteja num lugar melhor e que um dia eu possa te abraçar de novo.

544705_558018550886401_1880170566_n

Querido Zé,

Hoje lembrei de nossa avó paterna. Dona Josefa como a chamavam a maioria das pessoas, Zefinha como nosso avô a chamava, ou simplesmente Vó. A imagem dela me veio à mente e imediatamente senti como se faltasse ar no coração. É sempre assim que sinto quando a saudade de alguém que já se foi vem parar do meu lado. Você era muito pequeno quando ela nos deixou.

Eu, por ser a primeira neta, foi quem teve o privilégio de tê-la por mais tempo. Ela era brava – com os outros, mas com
os netos…fazia tudo o que podia e não podia para vê-los feliz. Ela adorava o mar. Quando íamos para a praia ela
parecia uma criança de tão contente que ficava. Lembro eu e ela na beira da praia, pés dentro d´água, ela segurando meu
pulso com força, por medo de eu me soltar e me afogar. Vó boba, a água mal batia na minha canela.

No fim da vida ela ficou cega por causa da doença mas não admitia que não enxergava. Não podia comer doces, também por causa da doença, mas comia, se lambuzava e regalava. A gente meio que brigava, mas deixava. Como faz para negar um
pequeno prazer para a avó querida? Não faz.

vó josefa

Feliz Aniversário

Querido Zé,

Quando você ainda não havia entrado em nossas vidas era fácil pensar “e se tivéssemos um irmão” e mais fácil ainda era parar de pensar nisso.

Mas há vinte e três anos o rumo de nossas vidas era mudado pela sua chegada. E como é dificil hoje parar de pensar nisso. Mas eu não quero parar de pensar, não quero esquecer que tenho um irmão maravilhoso.

Hoje não tem bolo, não tem parabéns, não tem a casa cheia, não tem você fisicamente aqui. Mas tem um coração cheio de saudade e de amor que ainda sente sua presença e por isso tem certeza de que nunca mais será sozinho.

Feliz Aniversário.

740333_553573558006095_505553062_o

Um menino e o seu dia

Querido Zé,

Um menino para pintar de azul nosso mundo cor-de-rosa, para espalhar seus carrinhos pelo chão, para rolar na terra e sujar a roupa, para enfrentar qualquer ladeira pilotando um carrinho de rolimã, para quebrar vidraças com seu chute certeiro,

para nos deixar mais fortes…

…simplesmente nosso menino.

Feliz Dia das Crianças.

389618_417309184965867_304563159_n

Dia do Irmão

Querido Zé,

Desde ontem estava querendo um abraço seu. Um abraço daqueles longos que aliviam tristezas e nos fazem sentir queridos. Um abraço do melhor irmão do mundo.

Tó, pega esse abraço meu amor. Se não é a pele que se toca são os corações que não se soltam.

1175613_621982884489967_1392921819_n

Inferno

Querido Zé,

A leitura seria melhor se eu pudesse contar com você para discutir todas as tramas da história… Mas cá estou eu, fazendo questão de ler por nós dois.

 

SC20130422-150202

2013-08-06 16.33.23

Férias

Querido Zé,

Fiquei um tempo longe aproveitando as férias para viajar. Conheci lugares novos, paisagens lindas. Subi até o alto de um monte e fiquei olhando a cidade lá embaixo, tão pequena, tão calma. Diante de tantas coisas diferentes não houve um dia que eu não lembrasse de você. Lembrasse que agora é assim: é pelos meus olhos que eu divido com você as boas coisas da vida.

1091019_10152518395462699_1587112058_o